segunda-feira, 28 de novembro de 2011

E-mail e celular estendem jornada de trabalho até as férias

E-mail e celular estendem jornada de trabalho até as férias
DE SÃO PAULO
A combinação entre crescimento mais intenso da economia e avanço nas tecnologias de comunicação tem resultado em aumento das horas trabalhadas no Brasil.
Sete em cada dez profissionais --que ocupam cargos como analista, gerente e supervisor-- afirmam que passam mais tempo no escritório hoje do que há cinco anos, informa reportagem de Érica Fraga publicada na Folha desta segunda-feira.
A íntegra está disponível para assinantes do jornal e do UOL (empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha).
Mais da metade diz que o teto da carga horária no escritório saltou de oito para dez horas diárias, e quase 80% são acionados nos momentos de lazer e descanso via mensagens no celular.
Nem as férias escapam: mais de 50% dos funcionários de empresas que atuam no país respondem a e-mails de trabalho nesse período, segundo pesquisa feita pela Asap, consultoria de recrutamento de executivos, a pedido da Folha.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

CUT-PB integra Comitê da Verdade na Paraíba

CUT/PB                         Assessoria de Comunicação
Carolina Barroca (83) 9137-2482 – assessora de imprensa
 CUT – (83)3221-8545 - cutparaiba@gmail.com
Twitter: @cutparaiba.com  www.cutparaiba.blogspot.com


CUT-PB integra Comitê da Verdade na Paraíba


A Central Única dos Trabalhadores na Paraíba está fazendo parte do Comitê da Verdade na Paraíba. Trata-se de um grupo criado neste último dia 21 (segunda-feira), com a presença da ministra Maria do Rosário Nunes, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, e que tem como objetivo esclarecer torturas, mortes e desaparecimentos ocorridos no período da Ditadura Militar (1964-1985).

De acordo com informações do secretário de Meio Ambiente e ex-presidente da CUT-PB, Edivan Silva, o Comitê na Paraíba, está contando com representantes da UFPB, da OAB e com presos políticos da época da ditadura. Segundo ele, a proposta é que estes comitês estaduais fortaleçam a luta nacional por Justiça para as vítimas da ditadura.

“A CUT-PB sempre apoiou a causa, inclusive com campanhas específicas para a promoção da Justiça para estas vítimas. Nós, por exemplo, ajudamos a divulgar as histórias das vítimas das ditaduras através do nosso blog e das nossas mídias sociais. Não podemos deixar que tanta injustiça caia no esquecimento”, destacou Edivan Silva. 

CUT-PB no Jornal da Correio da Paraíba

CUT-PB participa da Conferência Estadual do Trabalho Decente na Paraíba

CUT/PB                                                                                  Assessoria de Comunicação
Carolina Barroca (83) 9137-2482 – assessora de imprensa
 CUT – (83)3221-8545 - cutparaiba@gmail.com
Twitter: @cutparaiba.com  www.cutparaiba.blogspot.com


CUT-PB participa da Conferência Estadual do Trabalho Decente na Paraíba

A Central Única dos Trabalhadores na Paraíba (CUT-PB) está participando da Conferência Estadual do Trabalho Decente na Paraíba. O evento se realiza nestes dias 23 e 24 de novembro, no Espaço Cultural do Unipê, em João Pessoa. A Conferência tem como principal objetivo debater problemáticas e propor soluções através de políticas públicas que promovam o trabalho decente para as mais diversas categorias de trabalhadores.

O Secretário de Relações do Trabalho da CUT-PB, Gilberto Paulino, destacou que a Conferência deve contar com cerca de 270 delegados que representam os trabalhadores de todo o Estado, o Poder Público e o empresariado. Estes delegados foram eleitos durante as Conferências Regionais que já aconteceram em vários municípios da Paraíba, como Monteiro, Guarabira, Cajazeiras, Patos, Campina Grande e João Pessoa. Entre os representantes também estão pessoas ligadas à sociedade civil organizada no Estado.

De acordo com o representante da CUT-PB, o evento terá abertura a partir das 9h00 e haverá espaço para falas que devem debater os meios de promoção do trabalho decente no Estado. Gilberto Paulino explicou que este evento deverá eleger representantes que participarão da Conferência Nacional do Trabalho Decente, que será realizada em Brasília, em maio de 2012.

                “Atualmente, as principais problemáticas referentes ao mundo do trabalho são a sua precarização, com a falta de carteira assinada, a terceirização dos serviços e várias situações que acabam colocando a vida do trabalhador em risco ou mesmo que o exclui ao acesso aos seus direitos”, explicou o sindicalista.

Segundo ele, serão debatidas importantes bandeiras de luta da CUT, como a ratificação das Convenções da OIT 151 e 158, a autonomia e liberdade dos sindicatos, o fim do imposto sindical, a redução da Jornada de Trabalho de 44 para 40 horas semanais sem redução de salário e a luta contra a terceirização e precarização do trabalho.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

CUT-PB no Correio da Paraíba

CUT-PB esclarece sobre filiações de Sindicatos



A diretoria da Central Única dos Trabalhadores na Paraíba (CUT-PB) divulgou uma nota desautorizando toda e qualquer entidade não filiada em relação ao uso do nome e da imagem da CUT. De acordo com o presidente da Central, Luis Silva, há sindicatos situados no interior do Estado da Paraíba utilizando a marca da CUT em suas sedes e materiais institucionais, sem serem filiadas a Central.

“O que está acontecendo é que estas entidades estão enganando os trabalhadores e trabalhadores através do uso do nome da CUT. Estamos desautorizando o uso da imagem da entidade e informando que se uso indevido persistir, iremos tomar todas as medidas necessárias, inclusive perante à Justiça”, destacou Luis Silva.

Segundo o presidente da CUT-PB, o problema está existindo entre Sindicatos de Trabalhadores na Agricultura Familiar e que hoje existem cerca de mais de 120 entidades filiadas em toda a Paraíba.


Confira abaixo a nota na íntegra:

Nota de Esclarecimento


A Central Única dos Trabalhadores na Paraíba (CUT-PB) vem a público informar que no Estado da Paraíba não há filiação de qualquer Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (Sintraf) e que não há registro ou mesmo resolução sobre a política nacional ou regional de filiação de tais entidades supracitadas.

A CUT-PB desautoriza que qualquer entidade não filiada utilize ou venha a utilizar qualquer tipo de associação ao nome e à imagem da Central Única dos Trabalhadores e alerta que em caso contrário tomará as medidas devidas referentes ao uso indevido de imagem. 

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Reunião com a Ministra Maria do Rosário (secretaria de Direitos Humanos)

Prezadas e prezados ativistas e militantes de defesa e promoção dos Direitos Humanos convidamos para uma reunião, com o objetivo de tratarmos de assuntos inerentes ao Comitê pelo Direito à Memória, à Verdade e à Justiça.


Com a presença da ministra Maria do Rosário, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH-PR).



Dia 21 de novembro (segunda-feira)

17h

Local: Auditório João Eudes na

Assembleia Legislativa da Paraíba





Confirmar Presença:

3214-4539/8822-8160





2011 Ano Internacional dos Afrodescendentes

Pela Aprovação do PLC 122/2006 JÁ!

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

ASDEF e CUT-PB realizam 1º Encontro Paraibano de Trabalhdores com Deficiência


A Associação de Deficientes e Familiares (Asdef) e a Central Única dos Trabalhadores na Paraíba (CUT-PB) estará realizando o 1º Encontro Paraibano de Trabalhadores com Deficiência. O tema é “Trabalho: Porta Aberta para a cidadania” e o evento está programado para acontecer nos dias 9 e 10 de dezembro, no auditório da Funad, em João Pessoa.

O evento tem como objetivo debater as políticas públicas de inserção das pessoas com deficiência no mercado de trabalho e na vida produtiva. Os dados apresentados pela Asdef apontam que existem apenas 4 mil trabalhadores com deficiência empregados na Paraíba, o que equivale a menos de 1% do total de trabalhadores com carteira assinada no Estado.

Durante o evento, será lançada no Estado a cartilha da CUT “Direito é bom: nós gostamos e lutamos por ele”. A publicação apresenta a campanha nacional da entidade em defesa dos direitos dos(as) trabalhadores(as) com Deficiência.  As inscrições para o Encontro podem ser feitas através do site: www.asdef.com.br.

Conheça a programação do 1º Encontro Paraibano de Trabalhadores com Deficiência:

PROGRAMAÇÃO

DIA 09 DE DEZEMBRO (Sexta feira)

08:30h - Solenidade de Abertura

09:30h - 1º Painel - Políticas públicas de inclusão da pessoa com deficiência no mercado de trabalho: balanço e perspectivas

Palestrante:

Rosinha da ADEFAL - Deputada Federal de AL

Debatedores:

- Flavio Enrique - Coord. Nacional do Coletivo de Trabalhadores com Deficiência da CUT

- Marcos Gonçalves - Pres. da FENAVAPE

10:50h - Coffee black

11:10h - Debate

12:00h - Almoço

14:00h - 2º Painel - Políticas de educação profissional para pessoas com deficiência

Palestrante:

Izaura Maria de Andrade - Mestre em educação especial pela UFMG

Debatedores:

- José Cesário de Almeida - Professor da UFCG

- Janaina Peixoto - Professora do IFPB

15:20h - Coffee Black

15:40h - Debate

17:30h - Lançamento da cartilha da CUT ``Direito é bom: nós gostamos e lutamos por ele!``

18:00h - Noite Cultural



DIA 10 DE DEZEMBRO (Sábado)


08:30h - Exibição do documentário “História do movimento político das pessoas com deficiência no Brasil”

09:30h - 3º Painel - A legislação sobre direitos das pessoas com deficiência e os avanços necessários

Palestrante:

José Caetano dos Santos Filho - Procurador Regional do Trabalho

Debatedores:

- Francisco Izidoro – Presidente da ASDEF

- Ricardo Fernandes – Presidente da Comissão de pessoas com Deficiência da OAB-PB

10:50h - Coffee Black

11:10h - Debate

12:00h - Almoço

14:00h - 4º Painel - Os direitos humanos e a inserção produtiva das pessoas com deficiência: Carta da Paraíba por uma sociedade inclusiva

Palestrante:

Expedito Solaney - Sec. Políticas Sociais da CUT

Debatedores:

- Paulo Henriques da Fonseca - Prof. da UFCG Mestre em Direitos Humanos

- Simone Jordão - Presidenta da FUNAD

15:20h - Coffee Black

15:40h - Debate

16:20h - Encaminhamentos

17:00h – Encerramento

Encontro de Mulheres do PT CNB/Coletivo Celso Furtado





















Posted by Picasa

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Nota da CUT Ceará

Nota da CUT-CE

Em defesa dos avanços reais para os profissionais do ensino público estadual

A CUT-CE vem a público reafirmar a importância da luta dos professores e professoras cearenses por melhores condições de trabalho e por uma Educação pública de qualidade. Durante todo o processo de mobilização dos docentes da rede estadual de ensino, é destaque a postura firme do Sindicato Apeoc na mobilização da categoria, na garantia de diálogo e na conquista de avanços reais e sistemáticos para os profissionais. 

Como possibilidade de ampliar as conquistas para os trabalhadores e trabalhadoras, a CUT-CE defende a proposta construída pela categoria após intenso período de discussão, realizada especialmente nos últimos meses. Dessa forma, é fundamental que a categoria aprofunde o debate dos pontos apresentados, compreendendo todas as dimensões e identificando os seus ganhos efetivos no decorrer dos próximos anos.

A unidade da luta dos professores e professoras ceareses, a autonomia do movimento sindical, o fortalecimento da base para a ampliação de direitos são questões defendidas pela CUT-CE ao longo de toda a sua trajetória. Defendemos, de forma coletiva, que a atuação qualificada do sindicato Apeoc merece mais do que o reconhecimento, a solidariedade e o apoio de toda sociedade cearense.

CUT-CE e entidades filiadas

Nota do Sinpuc

SINPUC NEGOCIA REPOSIÇÃO DE AULAS EM NOVA PALMEIRA

No dia 09 de novembro o secretário de educação de Nova Palmeira,
Alexsandro de Barros, enviou ofício para o SINPUC comunicando a
reposição das aulas do dia 16 de outubro para o dia 15 de novembro. As
aulas foram suspensas no dia 16 por conta da Paralisação Nacional pelo
Piso, Carreira e PNE. O comunicado foi remetido também para todas as
diretoras das unidades escolares que aderiram à paralisação.

FALE com o Sinpuc

Sede Rua Almisa Rosa, 18 - Centro
58.184-000 - Nova Palmeira-PB

Subsede de Picuí Rua Antônio Paulino, 130 - Pedro Salustino
58.187-000 - Picuí-PB

Contatos (83) 3638 1207
ascomsinpuc@hotmail.com
sinpuc@yahoo.com.br

terça-feira, 8 de novembro de 2011

CUT no correio da Paraíba

CUT, CTB e Nova Central negociam nesta terça-feira (8) alterações no PL de terceirização


07/11/2011

Comissão de Alto Nível do Ministério da Justiça divulga nota técnica contra proposta da Comissão do Trabalho da Câmara

Escrito por: Marize Muniz

A CUT, a CTB e a Nova Central apresentam nesta terça-feira (8) alternativas à proposta de regulamentação da terceirização elaborada pela Comissão Especial sobre a Regulamentação do Trabalho Terceirizado, da Câmara dos Deputados.
Também nesta terça, deve ser divulgada nota técnica da Comissão de Alto Nível do Ministério da Justiça, formada por ministros do Tribunal Superior do Trabalho, Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho, OAB, Anamatra e governo federal, se posicionando contra o substitutivo do deputado Roberto Santiago (PV-SP) ao Projeto de Lei 4330, de autoria do deputado e empresário Sandro Mabel (PMDB-GO).
A Comissão de Alto Nível do MJ, que foi criada há dois anos pelo governo federal para acompanhar as discussões sobre mudanças na lei relacionadas ao mundo do trabalho, realizou uma reunião nesta segunda-feira (7) com representantes das três centrais sindicais que são contra a proposta de Santiago para saber qual a posição dos sindicalistas.
Os membroda da Comissão de Alto Nível decidiram convidar todas as centrais para esta reunião porque acharam estranhas as notícias que afirmavam que a proposta havia recebido o aval de todas as centrais sindicais. O Secretário de Relações de Trabalho da CUT, Manoel Messias Melo, esclareceu que a CUT não foi consultada. Os representantes da CTB e da Nova Central que compareceram a reunião, também afirmaram que não foram consultados. As demais centrais não enviaram representantes.
A luta contra o substitutivo
No dia 19, CUT e CTB impediram a votação do substitutivo do deputado Santiago ao PL 4330 na Comissão Especial de Terceirização da Câmara. Para os dirigentes das duas centrais, a proposta de Santiago regulamenta a precarização do trabalho.
Na semana passada, a Nova Central procurou dirigentes da CUT para se unir na luta contra a aprovação do substitutivo de Santiago.
O centro do problema
“No substitutivo faltam itens fundamentais para regulamentação da mão de obra. Eles tentaram dar segurança jurídica para os prestadores de serviços terceirizados, mas deixaram o trabalhador de lado”, diz Messias.
Segundo o dirigente CUTista, um dos pontos negativos mais importantes é que a proposta de Santiago foge do debate da proibição da terceirização da atividade-fim, colocando em seu lugar um conceito novo, de empresa especializada. “Na prática”, diz Messias, “a proposta fragmenta o direito do trabalhador”.
Para a CUT, a terceirização é um instrumento de rebaixamento de direitos dos trabalhadores, mas como terceirizar as atividades-meio já é um fato consumado no Brasil é preciso regulamentar as questões relacionadas aos direitos dos trabalhadores.
“O substitutivo esquece o trabalhador. Pior que isso, recua de posições consolidadas, como por exemplo, a responsabilidade solidária”, diz Messias, que complementa: “O código civil já estabeleceu responsabilidade solidária em vários campos, como segurança e saúde do trabalhador. A proposta em tramitação na comissão do trabalho proíbe que este conceito seja colocado em prática”.
Histórico
No dia 19, Sandro Mabel, que preside a Comissão do Trabalho, desistiu de votar o substitutivo do Roberto Santiago e propôs iniciar negociações com as centrais que são contra a proposta. O objetivo é encontrar alternativas ao texto do Santiago.
No dia 25, foi realizada a primeira rodada de negociação. Os presidentes da CUT, Artur Henrique, e da CTB, Wagner Gomes, apontaram os itens mais negativos da proposta que, segundo eles, ampliam a terceirização e precarizam o trabalho no Brasil.
Artur e Wagner argumentaram que o relatório de Santiago  cria a figura de empresa especializada, enterrando o conceito de atividade-fim (onde hoje é proibida a terceirização) e atividade-meio.E, apesar de afirmarem que o objetivo não é precarizar o trabalho nem reduzir custos em item nenhum da proposta está escrito que os trabalhadores terceirizados terão os mesmos direitos dos que são contratados diretamente.

Para CUT e CTB, o principal problema do relatório de Santiago é que a proposta se concentra em estabelecer regras entre as empresas e escancara a terceirização.
Mabel pediu então que as centrais se reunissem e formulassem propostas alternativas a esses itens.
Precarização total
 
Para as três centrais sindicais contrárias ao texto do deputado Santiago, pelo menos cinco premissas do projeto precisam ser revistas, caso contrário ao invés de regulamentação da terceirização, a Câmara dos Deputados vai  aprovar uma reforma da legislação trabalhistas que provocará sérios impactos no mercado de trabalho brasileiro, institucionalizando a precarização do trabalho.

Os cinco itens questionados pelos presidentes da CUT e da CTB na primeira reunião de negociação foram: 
1.      O conceito de atividade-meio e atividade-fim – eles querem que fique claro na proposta que a terceirização nas atividades-fim permanece proibida;
2.       Responsabilidade solidária da empresa contratante pelas obrigações trabalhistas – segundo os dirigentes, não vai resolver o problema dos trabalhadores colocar a responsabilidade solidária da empresa contratante apenas pelas obrigações trabalhistas, ou seja, relacionadas a contratação, fiscalização e/ou execução da empresa;
3.       Isonomia e igualdade de direitos entre todos trabalhadores e trabalhadoras – a proposta não detalha que os terceirizados terão as mesmas convenções coletivas, os mesmos salários etc;
4.      Direito à informação prévia e negociação coletiva por ramo preponderante – para CUT e CTB, direito a informação não é acordo coletivo. O que precisa deixar claro no texto é que os sindicatos serão informados previamente quando uma empresa decidir terceirizar algum serviço;
5.      Proibição de terceirização das atividades que são tipicamente de responsabilidade do Setor Público.
Terceirização é desemprego
Um estudo recente realizado pela CUT e pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômico (Dieese) rebate o argumento de que a terceirização gera empregos.
A pesquisa comprovou que 800 mil novas vagas de trabalho deixaram de ser criadas em 2010 por conta das terceirizações. Além disso, o salário dos terceirizados era 27.1% menor do que o dos contratados diretos. A rotatividade também é maior (5,8 anos em uma mesma empresa para os contratados diretos contra 2,6 anos para os terceirizados). Por fim, mais um dado alarmante: de cada 10 casos de acidentes de trabalho no Brasil, oito são registrados em empresas terceirizadas.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Força, Lula!

CUT deseja a Lula breve e firme recuperação

31/10/2011

Nota da Executiva Nacional

Escrito por: CUT Nacional

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) se solidariza com o ex-presidente Lula e deseja a ele, um dos fundadores da Central, rápida e firme recuperação.
Por seu histórico de luta, coragem, otimismo e fé, acreditamos que Lula vai superar esse desafio e breve estará de volta ao trabalho.
À família, manifestamos apoio e desejamos tranquilidade e confiança.
Vamos juntos, companheiros.
Executiva Nacional da CUT

Está aberta a votação para o 1º Prêmio CUT Democracia e Liberdade Sempre - 2011

31/10/2011

Acesse o site da CUT e participe desta festa democrática. Escolha seus candidatos; vote nas cinco categorias e avise aos seus amigos e familiares para que todos também votem

Escrito por: Marize Muniz


Começa nesta terça-feira (1º) a votação do 1º Prêmio CUT Democracia e Liberdade Sempre-2011. A votação termina no dia 30 de novembro.
 
O prêmio CUT vai homenagear personalidades e entidades que lutaram pela redemocratização do Brasil durante a ditadura militar de 64-85 - a mais longa fase de privação das liberdades e dos direitos no país -, e também as que lutam para aperfeiçoar o regime democrático brasileiro, defendendo o exercício da liberdade.
 
Além de contribuir para consolidar nossa jovem democracia, mantendo viva a história do país, o prêmio tem como objetivo difundir informações para que as futuras gerações saibam da importância da participação de toda a sociedade nos processos democráticos nacionais.
 
O prêmio “CUT Democracia e Liberdade Sempre” tem abrangência nacional e será concedido a seis categorias pré-determinadas pela organização. O público poderá votar nos indicados para as categorias de um a cinco. 
 
A indicação para a 6ª categoria do prêmio - “Personalidade ou Instituição de destaque” -, será feita pela Executiva da CUT, que terá a colaboração de personalidades comprometidas com os valores que norteiam a premiação. 
 
Esse grupo de pessoas também indicou nomes que vão concorrer nas outras cinco categorias do prêmio. Receberão os prêmios os candidatos mais votados em cada uma das categorias.
 
Categorias e Indicados 
 
Conheça agora as cinco categorias e os três indicados para cada uma delas.  Você deve escolher apenas uma pessoa ou instituição de cada categoria:
 
Categoria 1: Personalidade de destaque na luta pela Redemocratização do Brasil
 
Indicados: Idibal Pivetta; Maria Augusta Capistrano; e Rosalina de Santa Cruz.
 
Categoria 2: Personalidade de destaque na luta por Democracia, Cidadania e Direitos Humanos
 
Indicados: Frei Beto; Clara Charf; e Gegê.
 
Categoria 3: Personalidade de destaque na luta por Democracia e Direitos dos Trabalhadores
 
Indicados: Maria da Penha; Abdias Nascimento; e Virgílio Gomes da Silva.
 
Categoria 4: Personalidade de destaque na luta por Democracia e Justiça no Campo
 
Indicados: Dom Pedro Casaldáliga; Valdir Ganzer; e Manoel da Conceição. 
 
Categoria 5: Instituição de destaque na luta por Democracia e Liberdade
 
Indicados: Movimento dos trabalhadores sem Terra (MST); Central Única das Favelas (CUFA); e Central dos Movimentos Populares (CMP).
 
Como votar
 
Todos podem votar e ajudar na escolha dos premiados. Participe! Vote e convide seus familiares e amigos a votar também. 
 
Para votar, basta acessar o site da CUT (www.cut.org.br) e clicar no banner do 1º Prêmio CUT Democracia  e Liberdade Sempre, onde está escrito "Clique aqui e vote nos seus candidatos" ou diretamente pelo endereço: http://premio.cut.org.br/
 
Escolha seu candidato na categoria um, clique em cima do nome para confirmar seu voto; automaticamente, a página seguinte se abrirá na tela do seu computador mostrando os indicados da segunda categoria, escolha seu preferido, clique em cima do nome para confirmar seu voto; repita o processo até votar nas cinco categorias. 
 
Não se esqueça de que, para concluir o voto, é preciso votar em todas as categorias. Ao terminar, surgirá na tela do seu computador a confirmação do seu voto. Não aparecerão parciais dos resultados. 
 
Os nomes dos vencedores serão conhecidos apenas no dia 1º de dezembro. 
 
É importante lembrar que, por motivos de segurança, haverá restrição de ID, ou seja, cada pessoa poderá votar apenas uma vez do seu computador.
 
Premiação
 
A cerimônia de premiação será realizada no dia 13 de dezembro, no TUCA (Teatro da Universidade Católica), em São Paulo. Os premiados em cada categoria receberão o troféu símbolo do prêmio, criado pelo artista plástico Elifas Andreato.
 
 
A história do Prêmio
 
No dia 13 de dezembro do ano passado, após o retrocesso nos debates políticos da última campanha eleitoral, com ataques aos direitos individuais dos brasileiros: discriminação contra união de pessoas do mesmo sexo e aborto, só para ficar em dois temas polêmicos -, a CUT realizou o ato Democracia e Liberdade Sempre, no Rio de Janeiro.
 
A data é simbólica. No dia 13 de dezembro de 1968 os brasileiros foram surpreendidos com um dos maiores atentos à liberdade individual e coletiva de toda a história do País. 
 
A junta militar que governava o país com mãos de ferro desde o golpe de 1964, suspendendo as eleições direitas para o cargo máximo da nação – a presidência da república - instituiu neste dia o Ato Institucional 5. O AI-5 deu ao general presidente da República  poderes para cassar mandatos eletivos, suspender direitos políticos, demitir ou aposentar juízes e outros funcionários públicos, suspender os habeas corpus em crimes contra a segurança nacional e legislar por decreto, ampliando os instrumentos de repressão da ditadura militar. 
 
A mobilização popular trouxe de volta ao Brasil o espírito da liberdade, contribuindo decisivamente para a redemocratização do País. A democracia é uma ferramenta que facilita a preservação do estado de liberdade, mas a sociedade civil organizada precisa se manter alerta na defesa permanente desse direito.  
 
Foi com esse espírito que a CUT realizou, no ano passado, o Ato Democracia e Liberdade Sempre, e é com este espírito que a CUT decidiu realizar a cada dois anos um evento de premiação em homenagem aos brasileiros e às brasileiras que lutaram e continuam lutando em defesa da democracia.
 
Com este prêmio, a CUT reafirma o princípio que rege a central desde a sua criação: a luta pela democracia e liberdade sempre.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Seminário Nacional "Desenvolvimento e Ferrovias"

Seminário Nacional Ferrovias final.jpg

CUT Ceará convida para Caminhada

CONVITE

A Comissão Organizadora DA CAMINHADA EM DEFESA DA CAMPANHA DE MORTE ZERO
POR ACIDENTES NO TRABALHO, integrada pelo Sindicato dos Técnicos em Segurança do
Trabalho,CTSTMA/CESAU, CMS de Fort., CTB-CE , CUT-CE, FEDERAÇÕES e CERESTs, convida a
Sociedade Civil, as Organizações Privadas, Filantrópicas e Governamentais, os Conselhos de Políticas
Públicas, para participarem de um mega evento:

A CAMINHADA EM DEFESA DA CAMPANHA DE MORTE ZERO POR ACIDENTES NO
TRABALHO. 21 DE NOVEMBRO DE 2011.

09:00hs – Início de prestação de serviços na praça José de Alencar no Centro de Fortaleza.

15:00 horas concentração na Praça da Bandeira .

16:00horas INÍCIO DA CAMINHADA Praça da Bandeira pela rua GENERAL SAMPAIO, terminando na
Praça José de Alencar, com um ATO PÚBLICO DE MANIFESTAÇÃO.

TELES – MARVÃO -MARLI- IDÊNIO – NINO – FRANZÉ

(85)31015211-96734701CESAU-CE-sintest-ce–cut-ce,ctb-ce-C.S.M.FORT.cerests,federações
34526614-96228095

(85)

COORDENAÇÃO DA CAMINHADA

Para evitar acidentes, trabalho de manutenção na rede elétrica deve ser feito a dois, exigem sindicatos do setor

28/10/2011

Reivindicação foi levada ao ministro do Trabalho

Escrito por: Cecília Gomes e Isaías Dalle

Os trabalhadores e trabalhadoras do setor elétrico, através de seus sindicatos, estão cobrando das autoridades públicas, especialmente do Ministério do Trabalho, uma legislação clara que impeça o trabalho solitário, individual, de quem opera na manutenção e inspeção das redes elétricas de rua.
Na avaliação dos sindicatos cutistas do setor, com base na experiência concreta do trabalho de campo, quando alguém faz esse tipo de serviço sem a companhia de outro trabalhador capacitado, o risco de acidentes, inclusive fatais, aumenta em grande escala.
Por isso, a CUT e os sindicatos do setor querem regulamentar de maneira bastante explícita este ponto, que faz parte da chamada Norma Regulamentadora 10 (NR10). No texto atual, há brechas para que os empresários flexibilizem as condições de trabalho e segurança e coloquem trabalhadores fazendo essas operações de alto risco sozinhos.
texto que narra a última audiência com o ministro do Trabalho sobre o tema, e ainda detalha os riscos aos quais estão expostos esses trabalhadores:

Trabalho isolado em pauta no MTE
Ministro Carlos Lupi recebe bancada dos trabalhadores para tratar de Saúde e Segurança. Sinergia CUT participou do encontro 
“Na última quarta (26), o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, recebeu a bancada dos trabalhadores para ouvir reivindicações referente à saúde e segurança no trabalho. O presidente da CUT Artur Henrique inicou a reunião a partir da carta de Brasília que expressa diretrizes para prevenção de acidentes de trabalho, resultada da audiência do TST, realizada nos dias 20 e 21 passados e muito ligada à pauta que seria apresentada na reunião.

O presidente do Sinergia CUT, Jesus Francisco Garcia, participou do encontro levando a carta elaborada pela bancada dos trabalhadores na subcomissão de Trabalho Individual, ligada à comissão Permanente Nacional de Segurança em Energia Elétrica, que expõe as divergências sobre as situações em que é permitido que o eletricista execute o serviço sozinho.

“Este polêmico ponto da NR10 é alvo de tentativas de flexibilização por parte do empresariado, que quer reduzir postos de trabalho às custas da segurança dos trabalhadores”, alerta Jesus.

A carta alerta para os graves riscos aos quais os eletricitários estarão expostos, caso  trabalhem sozinhos. Na avaliação dos trabalhadores, a Norma é genérica e há concordância em discutir e aprovar possíveis atividades de forma individual caso não seja colocado em risco a integridade dos trabalhadores (leitura, inspeção visual, entrega de contas, por exemplo).

No entanto, foram apontadas ao ministro as peculiaridades da transmissão e distribuição de energia que expõe os trabalhadores a situação de risco, como por exemplo: o fato de a área de trabalho não ser delimitada fisicamente, sem  padronização que apresente uma prévia análise de risco. O cenário da rua é dinâmico e imprevisível, com fluxo de pessoas, falta de iluminação, descargas atmosféricas,  áreas com presença de delinqüentes,  entre outros fatores que dividem a atenção do trabalhador que está nas atividades de operação e  ou manutenção de redes elétricas. 
Em situações de emergência, caracterizam-se como grave e iminente risco aos trabalhadores “…essa situação deve ser considerada como condição impeditiva para a realização das atividades consideradas no item 10.7.3 da NR 10”, afirma a carta, que pede que este item não seja alterado sem a a aprovação por parte da bancada dos trabalhadores.
O ministro comprometeu-se a elaborar uma portaria a partir a Secretaria de Inspeção do Trabalho para que nenhum movimento de alteração às normas técnicas seja feito sem respeitar o conceito tripartite da OIT.”

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

SINDICELPA BA PROCESSO DE PERICULOSIDADE E INSALUBRIDADE BENEFICIA OS TRABALHADORES DE SUZANO MUCURI

Enviado por LUIZ em ter, 25/10/2011 - 17:24.

Acordo de R$ 14 milhões beneficia 165 trabalhadores de indústria de celulose
foto: Ascom TRT5
O Juízo de Conciliação de Segunda Instância (JC2) do TRT da Bahia homologou na tarde da última quarta-feira (19) um acordo no valor de R$ 14 milhões, envolvendo o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Papel e Celulose (Sindicelpa) e a Suzano Papel e Celulose, indústria de celulose do município de Mucuri, no extremo sul do Estado. Mediada pelo juiz do JC2 Murilo Carvalho Oliveira, a conciliação vai beneficiar 165 trabalhadores de uma ação que já tramita há mais de 14 anos na Justiça.
A dívida da Suzano com os operários será paga em até 20 dias, contados da assinatura do acordo, através do próprio sindicato, mediante emissão de cheques nominais a cada um dos trabalhadores contemplados. O acordo quita os adicionais de insalubridade e periculosidade, conseguidos pelos empregados em decisões favoráveis do próprio processo. Aqueles que se encontram trabalhando na mesma empresa receberão a parcela no próprio contracheque daqui para frente.
De acordo com o juiz Murilo Oliveira, a conciliação contempla apenas parte dos trabalhadores - 181 empregados apresentados pelo sindicato -, prosseguindo assim o julgamento do recurso feito pela empresa perante o Tribunal Superior do Trabalho. ''O resultado deste julgamento em Brasília valerá para aqueles que não fizeram o acordo'', salientou o magistrado, lembrando que outros trabalhadores poderiam ter sido contemplados pela negociação, mas um não concordou com a proposta e 15 não foram localizados.
Segundo informações do Sindicelpa, a consulta aos empregados contemplados pelo acordo foi amplamente divulgada, tanto por meio de editais publicados no Diário Eletrônico e no jornal A Tarde, quanto por plantão informativo nas sede e subsedes do sindicato, mas nem todos foram localizados.
foto: DivulgaçãoSUZANO - Presente em mais de 80 países, a Suzano Papel e Celulose (foto) é a segunda maior produtora global de celulose de eucalipto e líder regional no mercado de papel na América Latina, com sede em Salvador-Ba. Os principais produtos da companhia são celulose de eucalipto, papéis para imprimir e escrever (revestidos e não revestidos) e papel cartão. Em Mucuri, sul da Bahia, está a maior unidade integrada produtora de papel e celulose do Brasil. As outras quatro fábricas estão nas cidades de Embu, Suzano, Limeira e Rio Verde, em São Paulo.
(0143400-76.1997.5.05.0531 RT)
Ascom TRT5 (Lázaro Britto) - 21.10.2011
fonte:http://www.trt5.jus.br/default.asp?pagina=noticiaSelecionada&id_noticia=20554
Sidicelpa BA
Diretor-Marculano

Marcha da Educação: CUT cobra do governo 10% do PIB para educação e regulamentação da 151

26/10/2011

Cutistas cobrarm maior investimento do governo em encontro com Gilberto Carvalho

Escrito por: CUT Nacional


Enquanto milhares de professores de todo o Brasil acompanhavam a Marcha pela Educação, que está sendo realizada nesta quarta-feira, 26, em Brasília, o ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria-Geral da Presidência da República, recebia uma comissão de dirigentes sindicais CUTistas para discutir as reivindicações da categoria.

Os presidentes da CUT, Artur Henrique, e da CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação), Roberto Leão, entregaram ao ministro um abaixo-assinado pela bandeira dos 10% do PIB na educação, com 140 mil assinaturas coletadas no país inteiro.

Leão informou ao ministro que, nesta tarde, entregará aos deputados da Comissão de Educação da Câmara quatro pacotes contendo as assinaturas e disse a Gilberto Carvalho que “o governo precisa iniciar imediatamente um processo de valorização da educação”.

O dirigente relatou os problemas que estão ocorrendo nos estados por conta da não implantação da Lei do Piso, e pediu que o governo agisse para acabar com a marginalização sofrida pela categoria. “Tudo isso acontece por falta de regulamentação da Convenção 151 da OIT, que regulamenta a negociação coletiva dos servidores”, concluiu Leão.

O presidente da CUT também ressaltou a necessidade do governo federal tomar medidas para resolver o impasse que envolve a regulamentação da 151.

“É preciso fazer um esforço neste sentido. Depois de dois anos de debate no Ministério do Planejamento, chegamos a um consenso – a CUT e as demais centrais sindicais -, fechamos uma proposta, mas algumas centrais voltaram atrás porque queriam discutir imposto sindical e unicidade sindical no setor público e formaram outro grupo no âmbito do Ministério do Trabalho e Emprego para discutir o mesmo tema. É claro que fecharam uma proposta diferente,” explicou Artur Henrique.

Segundo ele, esta atitude dos sindicalistas contrários a proposta fechada depois de mais de 24 meses de debate, “é uma tentativa de inviabilizar a regulamentação. E o governo tem que priorizar a regulamentação da 151, deixando claro qual a sua posição”.

Pedro Armengol, da executiva da CUT, que também participou da reunião no Palácio do Planalto, ratificou as falas de Leão e Artur. Para ele, “o governo tem mesmo de arbitrar politicamente a questão” e acabar com o oportunismo de algumas centrais sindicais que querem descontar imposto sindical dos servidores públicos federais e estaduais já que, estatutariamente, eles nunca conseguiram descontar.

O governo tem de chamar os representantes dos ministérios do Trabalho e do Planejamento e fazer uma proposta única, que garanta os princípios da 151, pediram os dirigentes.

O ministro disse que levaria à presidente Dilma Rousseff todas as reivindicações dos sindicalistas com relação a regulamentação da 151 e pelos 10% do PIB na educação.

Também participaram da reunião os secretários de Finanças - Vagner Freitas – e de Relações Internacionais - João Felicio – da CUT; o vice-presidente da CNTE, Milton Canuto; e os diretores executivos da CNTE Joel Almeida e Odair Neves; e Jussara Dutra, vice-presidente da Internacional da Educação.